A startup de segurança Diamond Dust Identity levanta US$ 10 milhões para deixar os falsificadores comendo poeira

Uma startup chamada Dust Identity levantou US$ 10 milhões para expandir seu negócio de segurança baseado em pó de diamante.

Uma startup chamada Dust Identity arrecadou US $ 10 milhões para expandir seu negócio de segurança baseado em diamantes.

A empresa, que usa pequenos pedaços de pó de diamante para ajudar os fabricantes a proteger suas cadeias de suprimentos contra falsificadores, oferece uma solução para fabricantes que lutam para controlar a qualidade de todas as peças que entram em seus produtos.

A impressão 3D vem com uma grande desvantagem

A ascensão da impressão 3D acessível tornou mais fácil para os fabricantes fabricar peças especiais.



Mas, como qualquer pessoa pode digitalizar um componente complicado e imprimi-lo em 3D, também tornou mais difícil para os fabricantes diferenciar peças falsificadas de peças legítimas.

Então a resposta é... pó de diamante?

Dust Identity mistura pequenos fragmentos de diamante moídos em um polímero e, em seguida, pulveriza toda a mistura em objetos físicos, como peças de avião ou componentes de computador.

Quando esses objetos secam, esses pequenos fragmentos de diamante formam uma configuração única que pode ser digitalizada em um banco de dados e usada para autenticar objetos à medida que se movem ao longo de uma cadeia de suprimentos.

Essa solução física surpreendentemente simples é mais barata – e mais infalível – do que outras soluções de falsificação, como etiquetas holográficas, chips RFID ou códigos de barras. As etiquetas RFID mais baratas custam cerca de 15 centavos cada, enquanto uma etiqueta de pó de diamante custa cerca de 1/1000 de um centavo.