Crescer com o Google está deixando os alunos menos organizados, mas isso pode não importar

O Google transformou a forma como a Geração Z usa computadores – levando a um maior uso de ferramentas de busca e menos dependência de pastas para organização.

O Google ajudou a matar uma longa lista de produtos – enciclopédias, mapas, jornais – e talvez seja hora de adicionar outra vítima à lista.

A partir de 2017, os professores STEM começaram percebendo uma tendência recorrente: os novos alunos não sabiam como usar pastas .

As pastas fazem parte de um modelo mental maior…

… chamada estrutura de diretórios — o sistema hierárquico onde os arquivos são salvos em pastas e subpastas de forma intuitiva.



  • Por exemplo: um novo arquivo pode ser salvo em uma pasta “Documents”, que fica em uma pasta “Desktop”, que fica em uma pasta chamada “This PC”.

Os professores dizem que os alunos que cresceram com o Google estão evitando esse método inteiramente em favor de um modelo mental diferente chamado estrutura de “cesto de lavanderia”.

Com esse “sistema”, os usuários salvam todos os arquivos em um só lugar (como itens em uma cesta de roupa suja) e, em seguida, usam a pesquisa para encontrar um arquivo sob demanda quando necessário - o que pode resultar em desktops assim:

( Fonte: @AidaSaidSo/Twitter )

Graças ao Google, a pesquisa está incorporada em tudo agora…

… incluindo computadores, telefones celulares e aplicativos – o que levanta a questão: as pastas ainda são necessárias?

Professores em áreas STEM argumentam que, em alguns casos, sim.

  • Por exemplo, programação de computadores, que geralmente exige que os programadores façam referência a um local exato para um arquivo.

Como resultado, muitos professores STEM estão cumprindo um dever duplo, ensinando a estrutura de diretórios ao lado de seu campo de especialização.

Mas pode ser apenas um paliativo

Até os professores que ensinam a estrutura de diretórios acreditam que está acabando, antecipando que a Geração Z construirá suas próprias ferramentas sem a necessidade de pastas – e ensinará isso para as gerações futuras.

Mesmo que seja esse o caso, ainda não há desculpa para uma área de trabalho tão bagunçada.